Notícias

25 fev
2022

Correção Endovascular do Aneurisma da Aorta

Neste artigo iremos falar sobre uma técnica minimamente invasiva para o tratamento do aneurisma da aorta abdominal ou correção endovascular do aneurisma da aorta abdominal.

A aorta é a principal artéria do corpo, ela começa no coração e termina mais ou menos na altura do umbigo. Dessa forma, a aorta se bifurca nas duas artérias ilíacas que vão ligar dois membros inferiores.

Já os aneurismas são um enfraquecimento de um determinado local da parede arterial.

No vídeo mostramos um exemplo de aorta abdominal, com as duas artérias renais e o segmento da aorta imediatamente abaixo das artérias renais. Eles estão sadios, mas abaixo temos uma bolha, uma dilatação ou enfraquecimento desta artéria.

Por que a Correção Endovascular do Aneurisma da Aorta é importante

Tal qual um balão de festa, quanto maior o aneurisma menor a espessura da parede e maior o risco de cultura. Sendo assim, o principal risco do aneurisma da aorta é a ruptura, por esse motivo a correção endovascular do aneurisma da aorta é muito importante.

Em geral o aneurisma não apresentam sintoma, são uma doença silenciosa e perigosa.

Os aneurismas geralmente são descobertos de forma ocasional, quando o paciente faz algum exame de imagem como raio-x, ecografia ou tomografia, ou por alguma outra razão. Apesar disso, essa descoberta pode ser considerada muito boa, pois dessa forma podemos identificar o aneurisma antes do ronco, e em tempo de se fazer um tratamento adequado.

Novamente, normalmente os aneurismas não apresentam sintomas, mas quando dão sintomas podem ser eles:

  • Dor abdominal
  • Ou sensação de pulsação no abdômen, como se tivesse um coração na barriga

A maior parte dos aneurismas também não é possível ser detectada em exames de consultório, só aneurismas maiores é que se pode palpar no consultório, então é fundamental a realização de exames de imagem bastante sensíveis, para que se possa detectar um aneurisma antes da ruptura.

Tratamento do Aneurisma da Aorta

O tratamento do Aneurisma da Aorta vai depender se o aneurisma está o ocasionando sintoma ou não, e do tamanho.

Aneurisma pequenos e que não apresentam sintomas podem ser tratados clinicamente e acompanhados através de métodos de imagem seriados, ou por ecografia, ou tomografia.

Aneurismas maiores e os sintomáticos devem ser tratados com intervenção.

Como é feito a Correção Endovascular do Aneurisma da Aorta

Nós temos dois tipos de intervenção para o tratamento dos aneurismas da aorta abdominal.

A intervenção mais antiga, que se tem mais conhecimento é a cirurgia convencional ou cirurgia aberta. Onde após uma anestesia geral, se faz uma incisão no abdômen, a aorta é pinçada, e a parte doente do aneurisma é aberta e uma prótese colocada para substituir essa parte aneurismática. Esse é um procedimento de grande porte e necessita 3 dias de hospitalização em UTI e um tempo de internação mais prolongado.

Uma alternativa menos invasiva e mais recente para o tratamento dos aneurismas da aorta é a cirurgia endovascular.

A cirurgia endovascular é realizada através de punção ou de uma pequena incisão na virília pela artéria femoral, nós introduzimos cateteres e filmes guias que navegam por dentro do sistema arterial até o local do aneurisma. Na sequência por esses filmes guias nós introduzimos a endoprótese quem vem fechada e uma bainha.

Uma vez comprovado em exames de contraste o local ideal para a liberação desta endoprótese nós simplesmente liberamos a prótese, que é constituída de uma liga metálica que em geral em litinol recoberta por um tecido. Essa aberturas se dá através da força radial do metal que se prende internamente na parede da aorta.

Com isso, há um reforço interno na parede da aorta, redirecionando o fluxo de sangue para dentro da endoprótese e excluindo o aneurisma da circulação, dessa forma, evitamos o risco de ruptura.

Inicialmente se coloca o corpo principal e o ramo longo ipsilateral, posteriormente se cateteriza pela outra artéria femoral o ramo curto contralateral, onde se coloca a extensão para outra artéria ilíaca.

Essa então é uma prótese bifurcada, onde tem o corpo principal curto, e dois ramos para cada artéria ilíaca.

Após a abertura dessa prótese, nós acomodamos ela dentro da parede arterial com um balão, realizamos estudos com contraste para se certificar que a prótese está bem posicionada e que não existe nenhum vazamanto.

Uma vez constatado que o correto posicionamento e ausência de vazamento, os cateteres são retirados. O paciente permanece em torno de 2 a 3 dias no hospital e pode retomar as suas atividades habituais em um período bastante curto.

Siga o Dr. Eduardo Saadi no Instagram e acompanhe de perto mais informações.

QUER COMPARTILHAR ESTE CONTEÚDO?