A+ A-

Transplante Cardíaco

Em situações de insuficiência cardíaca terminal onde o tratamento clínico não consegue mais manter o paciente estável ou miocardite viral aguda com lesão importante do miocárdio, a substituição do coração doente por um outro pode ser necessária. Cabe ressaltar que na maior parte dos casos com insuficiência cardíaca o tratamento clínico ou a cirurgia são suficientes (ex. pontes de safena e mamária para cardiopatia isquêmica, ressecção de aneurisma de ventrículo e correção de doenças das válvulas). Mas em casos de miocardiopatia dilatada avançada ou outra, sem possibilidade de tratamento clínico ou cirúrgico eficaz o transplante deve ser considerado. Neste procedimento é utilizado o coração de outra pessoa com morte cerebral (doador) que é colocado no paciente (receptor) substituindo o coração doente. Com o paciente em circulação extracorpórea (máquina coração-pulmão artificial), o coração doente é retirado enquanto a circulação e a oxigenação são mantidas pela máquina, e o coração do doador então implantado.

- PÓS-OPERATÓRIO

No pós-operatório o paciente deve usar medicamentos imunossupressores (para evitar a rejeição) por toda a vida. É importante a aderência ao acompanhamento já que estas drogas facilitam a infecção e a rejeição deve ser continuamente monitorada e as doses dos medicamentos ajustadas.

Notas de apoio:

Insuficiência cardíaca: Dificuldade do coração em bombear sangue adequadamente para o oganismo, onde geralmente o coração aumenta de tamanho. Clique aqui para ir até a página da Insuficiência Cardíaca e saber mais sobre este assunto.