Notícias

16 set
2011

Lição do Prof. e Dr. Saadi: médico humano é mais importante que a tecnologia

O cirurgião cardiovascular Eduardo Keler Saadi foi convidado, em 15 de setembro, para ministrar palestra de encerramento, deste ano, da atividade Med & Cine promovida pelo SIMERS e Museu da História da Medicina – MUHM.

Parabenizando a iniciativa das entidades organizadoras do evento, o especialista falou sobre o passado, o presente e o futuro da cirurgia cardíaca após a exibição do filme ‘Quase Deuses’. A obra aborda a cumplicidade de um renomado cirurgião e de seu ajudante, um marceneiro inteligente e com firmeza nas mãos. O dois criaram técnicas inovadoras para a época.

O palestrante, que é professor adjunto da UFRGS, coordenador do serviço de Cirurgia Cardiovascular e do Centro da Aorta do Hospital Mãe de Deus, lembrou que a primeira cirurgia cardíaca foi realizada pelo Dr. Gross, em 1936, em Harvard, nos Estados Unidos. Motivada pelo interesse cada vez maior de pesquisadores e médicos em salvar vidas, a tecnologia empregada na área cardiovascular se aprimou a passos largos. Tanto que hoje, garante tratamento eficaz sem a necessidade sequer de abrir o peito do paciente.

Com a experiência da realização de mais de 5 mil cirurgias cardíacas e 350 procedimentos endovascualres, Dr. Saadi afimou que as técnicas minimanente invasivas, em casos graves, apresentam 1,5% de mortalidade, enquanto que o índice na cirurgia tradicional é maior que 4%. Além disso, a metodologia que permite correção de lesões através de um corte mínimo, auxílio de imagens e cateter reduzem o tempo de internação e de recuperação do doente.

O professor de medicina encerrou o encontro com uma importante lição: o médico nunca deve esquecer o humanismo e a compaixão. O paciente quer dedicação e o especialista deve corresponder à expectativa dele independentemente da tecnologia.

A palestra do Dr. Saadi pode ser vista em:
www.youtube.com/watch?v=3XigbC5O428

QUER COMPARTILHAR ESTE CONTEÚDO?